Quanto vale o seu choro?

Quanto vale o seu choro? Esse mesmo, que você economiza tanto. Esse que você guarda para aquelas noites em que ninguém está olhando. E chora pouquinho que é pro choro não se empolgar.

Não se acomodar de vez… Choro café pingado! Conta-gotas… Choro reprimido que você liberta em doses homeopáticas. Choro justificado! Bati o dedão na quina da mesa, tava cortando cebola, assisti a um filme triste ontem à noite. Você assume seus olhos vermelhos ou se esconde atrás de lentes escuras?

Quanto vale o seu choro? Um velório? Dor de dente? Vale uma despedida? Ou você acredita que o seu choro não vale nada? Pensa que a tristeza e o choro devem ser evitados a todo custo e só a alegria deve reinar no seu conto de fadas? Talvez seja tempo de aceitar que vai ter hora que o rio não vai dar pé mesmo. E que vai demorar pra enxergar o que está atrás da montanha que a gente escala até a exaustão… Então, esquece de uma vez essa história de pote de ouro no final do arco-íris… O arco-íris, por si só, já não deveria ser um tesouro? Um milagre depois da chuva? E quem quer ver a luz no fim do túnel? Não quero a luz no fim. Quero a luz agora! Eu quero a luz todo dia, toda hora, que é pra iluminar essas sombras que vão estar sempre aqui… Não se engane, meu irmão! Ninguém é iluminado aqui na Terra não! Ninguém é cem por cento limpinho, bonzinho, honesto, fofinho! Mas quem quer viver no comercial de margarina? Cara, quem pode ser realmente feliz comendo margarina? Nunca entendi isso! Mas, enfim, no mundo real, seja lá o que você coma no café da manhã, vai ter briga de família, vizinho chato, o seu pão vai cair com a manteiga (ou margarina) virada para baixo, vai faltar pó pro café e, às vezes, até dente pra morder! E você segue rindo! Um sorriso amarelo mormaço, sem graça, um riso banguela… Segue rindo até se convencer do seu riso… Até se convencer de que o caos e a bagunça generalizada que inunda a sua vida de “vez em sempre” também é merecedora do seu sorriso… Segue sorrindo até aprender a chorar! Choro derramado, choro abençoado, soluçado… Choro que lava a alma! Choro que faz as honras de chuva torrencial que vem braba, sem pedir licença, limpando o ar pesado e a terra seca. Essa chuva que vem pra inundar os rios, transbordando em movimento e vida. Segue sorrindo até aprender a chorar… Chorar de tanto rir…

Choro riso…

Choro chuva…

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s