Perdoe, mas se puder não esqueça!

Foi mal pelas historinhas que eu contei pra você a respeito do mundo e de como ele pode ser cruel, egoísta e hostil… Eu só estava olhando meu reflexo no espelho!

 

Desculpa por não te dar ouvidos. Hoje eu reconheço que você sempre trazia os melhores conselhos…

Desculpa por rejeitar a sua parte sombria e te cobrir com máscaras pesadas demais pra se sustentarem sozinhas…

Desculpa por aceitar passivamente todo o lixo que despejaram em você. Por embrulhá-lo pra presente e guardá-lo no lugar mais importante da casa…

Perdão pelas vezes em que eu te sobrecarreguei com trabalhos e ensinamentos bobos, quando o que você mais precisava era deitar na grama e ouvir a sua própria respiração…

Peço desculpas por te anestesiar com álcool, remédios ou relacionamentos vazios. Por tentar te poupar de dores transformadoras…

Tente me perdoar pelas vezes que sorri querendo chorar e deixei o rio dos meus olhos secos, completamente sem vida…

Desculpa por te fazer sentir estúpida nas aulas de matemática, quando eu sabia que aquelas equações não faziam o menor sentido… Por ter feito você se dedicar aquilo em que não era tão boa e se afastar daquilo que você fazia melhor…

Mil perdões por passar a vida inteira tentando encaixar um triângulo em uma peça de formato quadrado… E por aceitar rótulos que jamais lhe caíram bem…

Sim, eu sei que fiquei muito brava em todos os momentos em que você pisou “feio” na bola e foi difícil te aceitar…

Desculpa por sentir vergonha do seu corpo e te obrigar a fazer dietas malucas enquanto eu alimentava a sua alma com comida de plástico…

Perdi as contas das vezes em que te machuquei pra que os outros saíssem ilesos… Desculpa por isso também! Ninguém nunca sai ileso…

Foi mal pelas historinhas que eu contei pra você a respeito do mundo e de como ele pode ser cruel, egoísta e hostil… Eu só estava olhando meu reflexo no espelho!

Espero de coração que você me perdoe por ter esquecido como você era entusiasmada quando criança e por não ter acreditado nos seus sonhos malucos de estudar a vida secreta das formigas… Eu não devia ter caído naquele papo besta de ganhar dinheiro pra sobreviver… Ah, desculpe por, tanto tempo, ter me contentado em apenas sobreviver…

Quero que você me perdoe pelo meu comportamento passivo-agressivo e por ter achado, por muito tempo, tão difícil e constrangedor te amar…

Perdão por deixar a sua vida sempre pra mais tarde e colocar condições pra te fazer feliz…

Desculpa por escolher sempre o mesmo sabor de sorvete por medo de arriscar experimentar um novo e você não gostar!

Minhas sinceras desculpas por tentar desesperadamente juntar cacos que sempre insistiram em ficar livremente espalhados…

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s