Lá na curva, o que é que vem?

Um mulher viajando sozinha no carnaval pra um lugar desconhecido?

Ouça enquanto lê.

No último Carnaval meu deu uma vontade insana de ir pra algum lugar onde eu pudesse ficar entre praias e montanhas. Os primeiros lugares que vieram à minha cabeça foram a Praia do Sono, em Trindade e Aventureiro, em Ilha Grande – ambos no estado do Rio.

Intuitivamente, decidi pela segunda opção. Arrumei meu mochilão, uma barraca de camping (única alternativa pra quem quer conhecer esse paraíso) e parti.

Mas você vai sozinha?” – ouvi várias vezes com o espanto das pessoas, inclusive da minha mãe, que parece que não conhece a filha que tem até hoje (risos), mesmo depois de passar um ano na Índia! (Já minha avó, ao saber da minha estripulia forever alone, logo mandou um “isso mesmo minha filha, vai com Deus” – mais risos).

Causos à parte, viajar sozinha tem suas vantagens e uma delas é fazer apenas o que VOCÊ está a fim. Não que você não possa quando está acompanhada, mas eu realmente queria que essa viagem fosse MINHA. E tem mais:

1 – Você vai conhecer gente incrível por aí
Com histórias parecidas ou muito diferentes da sua. E o melhor, vai se aproximar de gente de todas as idades, coisa que provavelmente não rolaria se você estivesse acompanhada. Um dos meus grandes companheiros nessa trip, por exemplo, foi o Cauã, de 13 anos. Já acostumadíssimo com Aventureiro, sacava dos rolés todos e ainda tentou me ensinar a surfar ❤ Teve também um casal muito massa que me fizeram cia no primeiro dia. Eles já fizeram trekking pra tudo quanto é lado juntos, estavam acampados e iam fazer a trilha pra Parnaioca. Casar assim eu até animaria, viu!?

2 – Você vai aprender a reclamar menos
Quando os perrengues acontecem, não tem ninguém com quem reclamar. Ou você relaxa e compreende que o próprio caminho faz parte da viagem ou perde toda a oportunidade de se divertir e aprender.

3 – Você aprende a se bastar
Ainda existe um espanto – e até um olhar torto – para quem sai sozinho, seja pro cinema ou pra bar. Se for mulher, então…Eita! Solitude não é solidão, muito pelo contrário.  Ser capaz de ESCOLHER estar sozinho pode significar que os jardins da mente e do coração estão floridos com boas ideias e sentimentos. De outra forma, não nos suportaríamos. Óbvio que eu queria conhecer pessoas e fazer amizades. Mas se não rolasse, eu estaria na minha excelente companhia e com uma Natureza FODA à minha volta.

Voltando à Aventureiro, a ilha é realmente um pedacinho do paraíso e lá você percebe que não é preciso um milhão de opções de entretenimento engarrafado pra você se apaixonar. A Natureza é abundante e perfeita.

Não há opções de pousada, só camping. Então pode não ser uma boa opção pra quem preza por conforto. Há algumas alternativas para almoço, café da manhã e bebidas alcoólicas, mas se você for prolongar a estadia ou for fora de época, é bom ir abastecido, porque essas paradas acabam MESMO! Eu acabei fazendo minha própria comida todos os dias e foi super de boa. Havia uma cozinha compartilhada e, dependendo da hora, rolava um congestionamento. Como eu só levei coisa prática, não tive problema. Miojão salvador, sardinhas enlatadas e muita coisa que dava pra comer crua: pepino, beterraba, tomate, cenoura…And of course, WINE ❤

O camping do Luis era, até então, o mais famoso e, de fato, melhor estruturado. Mas resolvi ficar no Ita justamente pra fugir do rock (quem te viu, quem te vê, né nón?). Mas adivinhem? A gente foge do rock, mas o rock não foge da gente! Tinha UMA BANDA lá! hahaha INESPERADO! E, na verdade, foi ótimo, porque a gente só faz amizades onde tem gente, não é mesmo, coleguinhas? Culiei com essa galera, inclusive :p e com duas mineiras figuras que conheci através do meu amigo Cauã, lembram? Confesso que senti falta de um luau na areia com fogueira e tudo mais, mãããssss, foi ótimo anyway!

O que tem pra fazer

As atividades em Aventureiro se baseiam na Natureza. Além da praia central, tem a praia do Demo, onde fica a maioria dos surfistas; a do Sul e a do Leste, que são um pouco mais distantes e, apesar de serem proibidas, são as queridinhas da moçada que pega onda.

Do lado oposto, temos o Mirante do Espia, o cais (onde também é uma delícia pra nadar) e o Sundara. São 20 minutos de subida no meio do mato até chegar e se deparar com essa vista INCRÍVEL! Também rola um Stand Up Paddle e um caiaque  – lá na curva o que é que veeeeeeeeeemmmmm? (Pocahontas’ lovers entenderão).

Nóis no Sundara!

No mais, desejo que vocês visitem Aventureiro e que viajem sozinhos pelo menos uma vez – especialmente se você for uma mulher 🙂

Tem ainda o passeio pra Parnaioca, mas essas serão cenas do próximo capítulo!
Bay Jous!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s