Saindo do automático

Como um intercâmbio cultural pode se transformar numa verdadeira viagem interior – rumo ao autoconhecimento.


Completo  6 meses que saí do Brasil, seis meses que estou na Índia. Há alguns que chamam de “meio ano”, outros mais detalhistas dizem 180 dias. Indiferente de como nomeares, é um período que foge da tradicional contagem que nosso cérebro está acostumado a fazer. Foge? Foge por quê?

São seis meses novos, novos seis meses, seis novos meses, você perde a noção do tempo. São 180 dias longe de casa, são 6 meses imersos em um mundo absolutamente diferente. É meio ano conhecendo pessoas, lugares, comidas, línguas, sabores, cheiros, gostos, diferenças, problemas, soluções, processos, sistemas. São 180 novos dias de um universo novo.

india leonardo battezini que hora son mi corazon (3)

Nesse vivência muita coisa muda e muito se aprende, gostaria de enfatizar hoje sobre o AUTO CONHECIMENTO. 24×7 horas/dias de auto conhecimento. Isso, a experiência no exterior, e no meu caso, a Índia, lhe dá. O tempo que você passa sozinho, o tempo que você passa com pessoas que conheceu há dois dias, o tempo que você passa com pessoas que conheceu há um dia e se identifica muito, o tempo que você passa no trem, no ônibus, o tempo que você passa na empresa, na escola, em casa, em qualquer lugar. Você se auto conhece.

E eu acredito piamente que para se auto conhecer, é necessário apenas uma coisa, sair do automático. Em casa (normalmente) vivemos no automático, temos uma rotina, um objetivo, e fizemos aquilo de uma maneira quase cega, sem pouco perguntarmo-nos: por quê? Quem disse? Quem mandou? É certo? Eu gosto? Me dá tesão? Muitas vezes passamos mais tempo observando e conhecendo aqueles que queremos ser iguais e que nos espelhamos, do que passamos tempo nos conhecendo. De nada adianta conhecer e entender os ídolos, se você não se conhece bem.

Passei por um primeiro estágio de achar que de mim tudo sabia, depois evoluí aprendendo uma parcela de meus defeitos, comecei a lutar para mudá-los (estou longe de vencer, kkk) e entrei num ciclo maravilhoso, a cada dia descubro mais coisas, ao mesmo tempo que estou tentando mudar as que já conheço, ou enfatizar as que são boas (raras, kkk).

leonardo battezini india Ganges Rivera, Haridwar

O autoconhecimento é muito bom. Você se torna seu amigo, você conversa com você mesmo. A Índia me ensinou que o auto conhecimento, unido com o controle da mente, sao necessários para a felicidade inteligente, diferente da felicidade cega, mas esse tópico fica para outro texto. Indiferente de quantas horas, dias ou meses você investir no autoconhecimento, cada minuto vai ser válido =)

Namascar, Pune, Maharastra

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s